Posts Tagged ‘Genève’

Genebra – Suíça

quarta-feira, setembro 16th, 2009
Nós apontando para o famoso jato d'água ao fundo

Nós apontando para o famoso jato d'água ao fundo

Último dia na Suíça. Acordamos, tomamos o café da manhã e fomos conhecer um pouco de Genebra. Caminhamos por várias ruas de comércio e chegamos ao Parque dos Ingleses, próximo ao famoso jato d’água da cidade. O jato forma um desenho no céu dependendo da velocidade e direção do vento. Infelizmente, hoje o dia estava nublado, e não pudemos ver a água se destacando. Mas, mesmo assim, foi um belo espetáculo.

Passamos pela linda igreja protestante de Genebra, continuamos caminhando e fomos à Cathédrale Saint-Pierre, a catedral da cidade. É muito bonita, mas totalmente diferente das igrejas na Itália, por exemplo. O estilo arquitetônico é outro e não somente a religião marca as diferenças, mas os períodos de construção e o fato de que cada igreja na Itália é um museu, de certa forma. De repente você entra em uma igreja e dá de cara com pinturas maravilhosas, com afrescos encantadores. Isso não se encontra nessa parte da Suíça.

Continuamos o passeio e paramos numa feira livre. Havia alguns dias eu estava curiosa para experimentar uma frutinha vermelha, que hoje descobri que é groselha (não a vitaminada Milani, yahoo, mas a de verdade mesmo). Eu nunca tinha provado. Pois a moça da banca acabou nos dando um pouco e eu comi… adorei. Voltamos ao hotel, pegamos as malas, fomos de ônibus até a estação de trem (o hotel nos deu cartões para percorrer toda a cidade de graça com ônibus) e guardamos as malas nos lockers (contei post passado, lembram?). De lá, pegamos outro ônibus.

Chegamos à ONU (Organização das Nações Unidas) e à Cruz Vermelha. Fizemos fotos, conhecemos a região, passamos pelo museu Ariana (de cerâmicas), foi ótimo. Não pudemos demorar pois nosso trem tinha horário para sair e se perdêssemos, estaríamos perdidos :-)

Gostamos da cidade. Genebra, aliás, já parece uma parte francesa dentro da Suíça. Conhecemos um pouco de cada canto do país, desde Lugano (em que se fala italiano), St Moritz e vilarelos próximos (com o dialeto Romanche), Berna (alemão) e Genebra (francês), entre várias outras cidades que vocês acompanharam aqui no blog. E pudemos sentir a diferença entre cada canto, com uma vantagem: em todas elas encontramos suíços. E eles são uns fofos. Particularmente, eu preferi a Suíça italiana e aquela em que se falam os dialetos. Mas isso é gosto pessoal.

Pegamos o trem e chegamos às 19h00 em Lyon, na França. Mais um país! Antes de entrarmos aqui, estudamos um livrinho que trouxemos do Brasil. Porque na Itália estava tudo bem com meu italiano velho de guerra e empoeirado, na Suíça o italiano nos valeu por ser língua oficial, aprendemos umas palavrinhas de alemão e nos viramos com o inglês, mas e o medo de enfrentar franceses sem falar nem UMA palavrinha em francês? Ai ai ai.

Chegamos ao hotel Saint Paul, muitíssimo bem localizado no centro velho de Lyon. Antes nos perdemos, pegamos ônibus errado, mas o motorista gente boa nos ajudou e descemos para pegar o certo, encontramos uma moça no balcão de informações turísticas que era uma simpatia e no hotel o atendente era muito legal e nos indicou um restaurante fantástico: Notre Maison. Comemos queijo de entrada e depois um prato principal típico da cidade: uma espécie de bolo salgado bem macio com um molho rosê diferente com cenouras e batata. Não dá para explicar, é muito bom mesmo. As moças nos ajudaram a escolher um prato sem carne, mesmo sendo raro porque aqui se come bastante carne. Bebemos um delicioso vinho e de sobremesa uma torta com açúcar vermelho dos deuses.

Não sei se o fato de mostrarmos interesse no idioma deles nos ajudou a ser bem tratado na primeira noite. Falamos por favor, obrigado, desculpa, com licença e outras frases ou palavras soltas, mas tudo para engatar a conversa em inglês sem parecermos pedantes. E hoje foi lindo, que Deus nos ajude a encontrar pessoas bacanas como foi nesse primeiro contato. Merci beaucoup! ;-)

Amanhã tem mais Lyon, vamos explorar a cidade e depois conto tudo.

Alegrias,

Fernanda.

Eu feliz com minha groselha no meio de uma rua em Genebra

Eu feliz com minha groselha no meio de uma rua em Genebra

Na frente da ONU

Na frente da ONU

Bern, Lausanne, Montreux e Genebra – Suíça

terça-feira, setembro 15th, 2009
Em Lausanne, a cidade olímpica!

Em Lausanne, a cidade olímpica!

Catedral de Lausanne vista do altar

Catedral de Lausanne vista do altar

Puf puf puf… UFA! Chegamos. Saímos de manhã de Bern e seguimos para o nosso destino final, Genebra (ou como eles chamam aqui, Genève). Mas, no meio do caminho, como estudamos o mapa no dia anterior, decidimos parar em Lausanne. Deixamos as malas nos lockers da estação de trem (toda estação de trem da Suíça tem esses compartimentos em que você pode trancar suas malas e levar a chave embora) e fomos conhecer a cidade.

Lausanne é muito bonitinha, mas é uma cidade maior. Não é plana, mas é aquele estilo sobre-e-desce. Visitamos a belíssima Cathédrale (a Catedral, sim!), uma construção gótica que começou em 1150. Também entramos na Eglise (igreja) de St. François, construída em 1270, e fomos a uma bela praça em que está o Palais de Rumine, uma construção de 1900, que já foi museu, universidade e biblioteca. Também passamos pelo Hôtel de Ville que é muito antigo, de 1673. Lindo! A fonte da justiça está logo em frente.

Após o passeio por Lausanne, decidimos fazer outra “loucurinha”. Mantivemos as malas nos lockers e nos mandamos para Montreux, uma cidade a 20 minutos de trem e que com outras duas cidades é chamada de Riviera Suíça. É bem menor e linda. Ficamos encantados! Pegamos um ônibus e só depois percebemos que não aceitavam notas para o pagamento, apenas moedas. Mas não tínhamos moedas! Uma suíça simpática nos ajudou e ainda pagou a passagem com suas moedas! Esses suíços são cada vez mais supreendentemente fofos.

Chegamos ao Château de Chillon, ou seja, o Castelo de Chillon, construído entre os séculos 12 e 16. O lugar ficou famoso pelo poema de Lord Byron que menciona a prisão do castelo. E o passeio foi fantástico. O castelo é enorme, lindo, perfeito. São diversas salas e acompanhamos as explicações pelo folheto. É sala que foi de refeições, sala de justiça, quarto dos “poderosos”, sala das damas, sala das latrinas… foi um passeio maravilhoso, com uma vista de Montreux e seu Lác Leman, o lago enorme que banha Montreux, Lausanne e Genebra.

Pegamos o ônibus de volta, passamos em frente à estátua em homenagem ao Freddie Mercury (ele teve um estúdio na cidade) e ao mercado coberto e voltamos para Lausanne, onde pegamos as malas e seguimos viagem para Genebra. Chegamos aqui mais de 21h00, pegamos um táxi (pela segunda vez apenas em toda a viagem) e chegamos ao Hôtel Central, bem localizado e organizado. Ainda contamos com uma atendente brasileira muito simpática e que contou-nos uma história linda de como veio parar aqui, já que a mãe reencontrou um amor de juventude mais de 20 anos depois, quando ambos estavam divorciados, e ela se mudou com a filha (essa recepcionista) para Genebra. Eu adoro histórias de amor ;-)

Amanhã curtimos Genebra, depois eu conto tudo. Será nossa saída da Suíça também. Já estou começando a ficar tristinha… Eu amei esse país.

Alegrias,

Fernanda.

Má dentro do castelo de Chillon e a bela vista de Montreux

Má dentro do castelo de Chillon e a bela vista de Montreux

Parte da vista do castelo e de Montreux

Parte da vista do castelo e de Montreux